A realidade sobre a incontinência urinária

Muitas pessoas sofrem de incontinência urinária, estima-se que existam quase 20 milhões de pessoas no Brasil com este problema. É possível tratar a maioria dos problemas de controle vesical através de várias alternativas, começando por visitar ao profissional de saúde para falar sobre esta situação.

Entendendo as vias urinárias

As vias urinárias constituem um sistema responsável para criar, armazenar e eliminar detritos líquidos do organismo. Formado pelos rins, ureteres, bexiga e uretra.

Os rins retiram água e os detritos do sangue e os conduzem até a bexiga através dos ureteres. A bexiga armazena este conteúdo que é denominado de urina. Normalmente a urina consiste em 95% de água e 5% de detritos. Algumas pessoas pensam que ao ingerir menos líquido poderão reduzir o seu problema de incontinência: não é verdade. A urina fica mais concentrada, podendo irritar a bexiga ou causar outros danos à saúde, como infecção ou desidratação.

Quando a bexiga está cheia, a pessoa continente sente a necessidade de eliminar o conteúdo através da uretra. Existem músculos chamados de esfíncteres que funcionam como válvulas controlando a urina para evitar as perdas involuntárias. Muitas pessoas com incontinência possuem músculos debilitados ou lesados, e podem não perceber que a bexiga está cheia, tendo dificuldade de controlar a urina.

 

A incontinência tem muitas causas

De forma didática separamos as causas agudas das crônicas

  • Agudas: Infecções das vias urinárias, constipação intestinal e os efeitos colaterais de medicamentos, são as principais causas e geralmente de tratamento mais fácil, muitas vezes resolvida com antibióticos, mudança de hábitos ou de medicamentos.
  • Crônicas: Doenças crônicas, gestações, distúrbios prostáticos, cirurgias pélvicas, acidentes, derrames e outras situações. Nestas condições o tempo e a forma de tratamento é individualizado.

 

Existem tratamentos para a incontinência urinária?

Sempre há tratamento para a incontinência urinária. Dependendo do caso, há cura total e ou melhora acentuada da qualidade de vida.

 

Medidas Adjuvantes

Pratique uma boa higiene: Para minimizar o risco de infecção, e manter a pele sadia, os resíduos de urina e matéria fecal deverá ser limpo o mais breve possível e associar o uso de cremes protetores.

Pratique uma nutrição adequada: Alimentos com alto conteúdo de fibra, ingestão de água em abundância (2 litros/dia). Evite cafeína, bebidas destiladas e temperos fortes.

Utilize absorventes descartáveis, seja de forma temporária, enquanto estiver tratando ou de forma permanente como maneira de melhorar a qualidade de vida. Há vários tipos de absorventes para mulheres. Há no mercado apenas um absorvente específico para o sexo masculino, DRYMAN, com o qual temos tido bons resultados e boa aceitação por parte dos pacientes.

 

Prof. Dr. Fernando Almeida

Professor Livre Docente em Urologia

Chefe dos setores de Disfunção Miccional da Escola Paulista de Medicina

You may also like

Leave a comment